CONHEÇA AS REGRAS PARA USO DE INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL (IA) NO BRASIL E SAIBA COMO ELA PODE SALVAR VIDAS


UM PROJETO DE LEI FOI CRIADO PARA PROTEGER OS DIREITOS HUMANOS DA IA (INTELIGENCIA ARTIFICIAL). A LEI TEM COMO OBJETIVO PROTEGER PESSOAS, EMPRESAS E PODER PUBLICO DOS DIREITOS E DEVERES QUE POSSUEM AO UTILIZAREM A TECNOLOGIA. 

Toda e qualquer empresa ou pessoa que fizer uso de IA irão responder legalmente pelas atitudes tomadas pelo robô. Devendo então garantir que o sistema se enquadre dentro das exigências da Lei Geral de Proteção de Dados (Lei vigente a partir de Agosto de 2020) para que assim os direitos sejam os mesmos para humanos e robôs. 

Toda e qualquer pessoa que for afetada pelo sistema, terão garantido acesso a informações sobre procedimentos e detalhes de como o processamento de dados ocorreu, essa é uma das garantias que a lei nos trará. 



E por último porém não menos importante, o poder publico terá acesso a relatórios que causam impacto. Documentos esses que serão escritos pelos agente da Inteligência Artificial que diz quais são as medidas tomadas para evitar riscos, medidas essas tomadas pelo sistema. Esse material poderá ser solicitado a todo e qualquer momento, sendo possível fazer mudanças no sistema por parte das autoridades.

No momento a proposta encontra-se na Câmara dos Deputados em análise conclusiva. O que quer dizer que não haverá a necessidade de votação no plenário. Essa chegada ao Senado, depende da aprovação nos departamentos de Constituição e Justiça e de Cidadania de Trabalho; de Administração e Serviço Público e de Ciência e Tecnologia.

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL PARA SALVAR VIDAS

Uma empresa de Inteligência Artificial Israelense investiu em uma tecnologia para proteger principalmente crianças de acidentes em piscinas.  A empresa que esta apenas iniciando seus trabalhos criou um robô com o intuito de salvar vidas, visto que milhares de crianças e pessoas que não sabem nadar morrem todos os anos em acidentes domésticos com piscinas. O equipamento utiliza câmeras e IA para evitar afogamentos.



Manta 3.000 é o nome dado ao equipamento, ele possui a capacidade de monitorar uma área de 10 metros quadrados através de uma câmera subaquática que esta conectada um computador, sendo assim podendo mandar sinal para a casa de algo esta errado. A tecnologia identifica e registra a pessoa ao entrar e ao sair da piscina, criando um banco de dados. 



Se uma pessoa afundar a cabeça na água por mais de 15 segundos, um sinal de alerta é disparado e, caso a situação continue, outros alarmes também serão acionados. Sendo assim quem estiver próximo poderá identificar o acidente e salvar a tempo alguém em situação de afogamento.

O mais legal é que após a instalação, não é necessário mais nenhuma intervenção humana para o funcionamento do Manta 3.000. O robô fica ligado 24 horas e é carregado através energia solar. E claro dentro do prazo necessário fazer as manutenções necessárias.

Existem diversos outros robôs projetado para funcionar como salva-vidas, porém esse é um dos mais em conta previsto até agora.  O equipamento ainda não esta a venda, está em fase de testes, o que deve durar pelos próximos meses.